Barbo-comum PDF Imprimir e-mail

Nome científico: Barbus bocagei
Mapa de Distribuição



Os barbos são os maiores ciprinídeos nativos do país. Todos eles têm dois pares de longos barbilhos à volta da boca que funcionam como uma espécie de língua exterior que os ajuda a detectar as presas no fundo antes de as ingerirem com a sua boca ventral. Como as bogas, sobem os rios para desovar em águas com uma certa corrente, escavando a fêmea um local de desova na areia. Regressam depois a águas de corrente mais fraca. Do Lima até ao Sado a espécie nativa é o barbo do Norte (Barbus bocagei); a cumba (Barbus comizo) existe no Tejo e no Guadiana; o barbo de cabeça pequena (Barbus microcephalus) existe apenas no Guadiana; e o barbo do Sul (Barbus sclateri) no Guadiana e rios do Algarve. Nenhuma destas espécies é exclusivamente portuguesa mas são todas endémicas da Península Ibérica.

Comprimento máximo: 38,8 cm
Estatuto de conservação: Baixo Risco/pouco preocupante
 
Artigo seguinte >