Bogas de boca recta PDF Imprimir e-mail

Nome científico: Pseudochondrostoma duriense / Pseudochondrostoma polylepis / Pseudochondrostoma willkommii

Mapa de Distribuição de P. duriense / Mapa de Distribuição de P. polylepis / Mapa de Distribuição de P. willkommii

Pseudochondrostoma polylepis

Há três espécies de boga-de-boca-recta em Portugal, todas endémicas da Península: a boga do Norte (Pseudochondrostoma duriense), a boga-comum (Pseudochondrostoma polylepis) e a boga do Guadiana (Pseudochondrostoma willkommii). A distribuição da boga do norte estende-se desde o rio Douro até ao norte de Espanha; a boga-comum existe nos rios Tejo, Mondego, Vouga e Sado; e a boga do Guadina existe na bacia do Guadiana e rios espanhóis próximos. São peixes de tamanho médio da família Cyprinidae. O seu traço mais saliente é a boca especializada em raspar material vegetal de pedras, troncos e outros suportes. A boca está situada numa posição ventral, é rectilínea e tem o lábio inferior reforçado com uma placa córnea que ajuda o peixe a raspar a vegetação que cresce agarrada aos materiais submersos. Migram na Primavera para se reproduzirem em águas de corrente forte e fundos pedregosos, bem oxigenadas, regressando depois às suas zonas de alimentação.

Comprimento máximo: 25 cm
Estatuto de conservação: Baixo Risco/pouco preocupante
 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >